Nossa história

 

1961/1962

Ronaldo Bologna

Nasce o CMSP sob a direção do maestro Ronaldo Bologna. Os primeiros ensaios são em 1961 e a primeira apresentação em 1962. Como conjunto vocal e instrumental, estabelece o objetivo de difundir e divulgar a música medieval, renascentista e a do início do período Barroco. A primeira formação de cantores é constituída por Shirley Donadio, Maria Helena Emmerich, Mariangela Réa, Marilena de Aquino, Henrique Gregori, Samuel Kerr, Sandino Hohagen, Klaus Dieter-Wolff e Ronaldo Bologna. A parte instrumental conta com Maria Lívia São Marcos ao alaúde, Sandino Hohagen como flautista e Alejandro Ramirez ao violino.

 

 

1963

Roberto Schnorrenberg

Ronaldo Bologna recebe uma bolsa de estudos para aperfeiçoar-se na Alemanha e não pode mais dirigir o coro. É substituído pelo compositor e regente Roberto Schnorrenberg, estudioso da música medieval e renascentista, que recebera em 1962 o prêmio da Associação Paulista de Críticos Teatrais e de Música de Melhor Regente .

 

 

1964/1965

Roberto Schnorrenberg e coro

Por dois anos seguidos o CMSP obtém o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como Melhor Conjunto Coral.


1968

Collegium Musicum de São Paulo

O CMSP é responsável pela primeira montagem e estreia brasileira da peça sacra Vespro della Beata Vergine de Claudio Monteverdi, um marco e testamento da música do período Barroco. O concerto teve a participação do Conjunto Coral de Câmara de São Paulo e o Madrigal Ars Viva de Santos.

 


Anos 70

O CMSP continua apresentando o repertório renascentista aos cuidados de grandes estudiosos do tema como Helder Parente e Edmundo Hora. Participa intensamente de diversos festivais dedicados à música sacra. Obras que representam o ponto culminante do patrimônio da arte musical são apresentadas, como as composições de John Bull, Elias Ammerbach, Johannes Ockeghem, Jacob Obrecht, Heinrich Finck, William Byrd, François Couperin, Georg Friedrich Händel, Joseph Haydn, entre outros. Também nessa década ocorrem as participações do CMSP no Festival Internacional de Curitiba de 1975, 1976 e 1977, sempre dirigido por Schnorrenberg.

 


1979

Vespro della Beata Vergine, de Monteverdi, é remontada por Schnorrenberg e conta com a participação do Conjunto Coral de Câmara de São Paulo e do Madrigal Klaus-Dieter Wolff.

 


1981

O CMSP faz a primeira montagem brasileira da comédia madrigalesca Barca di Venetia per Padova, obra secular de Adriano Banchieri, também apresentada na Sala Cecília Meireles (Rio de Janeiro) com as participações da cravista Regina Schlochauer e da organista Dorotéa Kerr.

 


1983

Roberto Schnorrenberg

Em 12 de outubro, aos 54 anos, morre o incansável e grande maestro Roberto Schnorrenberg. Além do CMSP, seu legado inclui a primeira presidência da Sociedade Brasileira de Musicologia, dedicada à pesquisa e trabalhos teóricos sobre a música brasileira. Alunos do mestre mantêm os compromissos assumidos por Schnorrenberg até o final de 1983. Alguns concertos são apresentados sem regência.

 


1983/1984

Abel Rocha

Com a perda de seu regente, vários integrantes deixam o CMSP. O maestro Abel Rocha, cantor do CMSP desde 1980, assume a direção artística com a missão de reorganizar o conjunto. 

 


1985

Reestruturado, o CMSP é convidado para participar das comemorações dos 300 anos de nascimento de Johann Sebastian Bach e dos 400 anos de nascimento de Heinrich Schütz.

 


1987

O CMSP apresenta a ópera Dido and Aeneas, de Henry Purcell, no evento Música no Pátio, juntamente com a Camerata Brasileira, contando com a apresentação e os comentários do maestro Walter Lourenção. Abel Rocha recebe o prêmio da APCA de Melhor Regente Coral.

 


1988

Com a direção do maestro Abel Rocha, o CMSP canta Vespro della Beata Vergine de Monteverdi ao lado do Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo, da Camerata Atheneum e da Academia Antiqua.

 


1990

Marieddy Rossetto

Após a reapresentação da ópera Dido and Aeneas, o maestro Abel Rocha recebe uma bolsa de estudos para uma pós-graduação em regência de ópera, na Alemanha. A seu convite, Marieddy Rossetto assume a regência do coro até 1992. Sob sua direção, o CMSP realizou obras de William Byrd, Hans Leo Hassler, Heinrich Schütz, Franz Schubert, Anton Bruckner, Johannes Brahms, Francis Poulenc, entre outros, com a participação de renomados solistas, como Martha Herr e Silvia Tessuto (antigas integrantes do coro) e de Carlos Eduardo B. Marcos. 

 


1992

Em novembro, Abel Rocha reassume a regência do coro.

 


1993

O CMSP faz sua primeira gravação para TV. Gravado na Igreja do Carmo, participa do especial de Natal Aleluiah da TV Cultura.

 


1994

O CMSP participa do Festival Camargo Guarnieri promovido pelo Sesc Ipiranga cantando a obra sacra mais importante do compositor, a Missa Dilígite. Todos os concertos do festival são gravados pela Rádio Cultura FM.

 


1995

Collegium Musicum de São Paulo

O CMSP participa do ciclo de concertos The Best of Opera, na Sala São Luiz, em São Paulo, sob direção musical do maestro Abel Rocha. Participa também do 1° Festival de Música Sacra, idealizado pelo organista Nelson Rodrigues da Silva. Repetido por vários anos, este festival transformou-se em importante evento de difusão do canto coral na cidade de São Paulo, sempre com a participação do CMSP.

Abel Rocha recebe pela segunda vez o prêmio da APCA de Melhor Regente Coral.

 


1996

Nos dias 12 e 13 de outubro é realizado o concerto comemorativo de 35 anos do CMSP na Catedral Evangélica de São Paulo, reunindo praticamente todas as pessoas ligadas ao canto coral na cidade de São Paulo. Foram convidados: o Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo, Brasilessentia Grupo Vocal, Grupo Vocal Farrambamba, Coral da Cultura Inglesa, Coral Libercanto e Coral FAAM. Todos os regentes desses grupos - Samuel Kerr, Naomi Munakata, Mara Campos, Vitor Gabriel, Ana Yara Campos e Marcos Júlio Sergl - foram, em momentos diferentes da história do grupo, integrantes do CMSP. O último número, o moteto Spem in Alium, de Thomas Tallis, para oito coros a cinco vozes, reúne 260 cantores de todos os conjuntos convidados em sua primeira audição no Brasil.

 

O CMSP fica em 3º lugar no 1º Concurso Nacional de Corais de São Paulo, dentre mais de trinta grupos participantes.

 


1997

Como parte das comemorações dos 130 anos do Colégio São Luís, o CMSP apresenta o Oratório de Natal, de Heinrich Schütz, ao lado do Conjunto Paraphernalia.


1998

Collegium Musicum de São Paulo

O CMSP retoma a obra Vespro della Beata Vergine, de Claudio Monteverdi, para a gravação da TV Cultura de São Paulo.

 

Ao lado da Orquestra Sinfônica de Santos e do Conjunto Vocal CNRS realiza a primeira audição brasileira da versão sinfônica da Missa em Ré Maior op.86, de Antonín Dvorák.

 


1999

O CMSP é indicado para o Prêmio Carlos Gomes na categoria Destaque Coral e Conjunto Vocal.


2000

O CMSP participa do evento teatral Caguei pros 500 (em virtude dos cinco séculos do descobrimento/invasão do Brasil) no Teatro Brasileiro de Comédia de São Paulo.

 


2002

Lançamento do CD de 40 anos do CMSP com obras de Jacob Obrecht, Loyset Compère, Thomas Tallis, William Byrd, José Maurício Nunes Garcia, Anton Bruckner, Ernst Widmer e Ernst Mahle. Inclui também faixas multimídia com um vídeo de Le Chant des Oyseaux, de Clément Janequin, gravado em 2000, fotos e histórico do coro.

 

Dentro do Projeto Memória da Ópera Brasileira, o CMSP participa de Joanna de Flandres, de Carlos Gomes, ao lado da Orquestra Filarmônica de São Caetano do Sul.

 

O CMSP é indicado ao pela segunda vez ao Prêmio Carlos Gomes na categoria Destaque Coral e Conjunto Vocal.


2003

Collegium Musicum de São Paulo

O CMSP faz a primeira apresentação encenada na capital paulista da ópera Dido and Aeneas, de Henry Purcell. A direção cênica é de Iacov Hillel e a direção musical é de Abel Rocha, com a participação da Orquestra de Câmara Engenho Barroco. Entre os solistas, nomes importantes como Adélia Issa, Martha Herr, Silvia Tessuto e Rubens Medina. Por este espetáculo, o CMSP recebe o prêmio da APCA de Melhor Conjunto Vocal de Ópera.


2004

Collegium Musicum de São Paulo

Convidado pela Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, o CMSP canta a 9ª Sinfonia de Ludwig van Beethoven, sob a direção de Luís Gustavo Petri, ao lado dos solistas Rosana Lamosa, Regina Elena Mesquita, Fernando Portari e José Gallisa.


2005

O CMSP participa do 16º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga em Juiz de Fora, Minas Gerais, com obras a cappella de Jacob Obrecht, Loyset Compère, Thomas Tallis, William Byrd, Josquin des Prez e Clément Janequin.

No Theatro São Pedro, participa da ópera de Salvator Rosa, de Carlos Gomes, com direção cênica de Walter Neiva e direção musical de Fábio Gomes de Oliveira.


2006

Teatro Coliseu Santista

O CMSP participa da reinauguração do Teatro Coliseu, em Santos, com a Orquestra Sinfônica Municipal de Santos apresentando a 9ª Sinfonia, de Beethoven.

Ao lado da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, sob regência de Carlos Moreno, apresenta em julho o Requiem de Wolfgang Amadeus Mozart no 37º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, em agosto o Requiem de José Maurício Nunes Garcia, e em dezembro a Cantata de Natal de Ernani Aguiar.

 


2007

Carlos Moreno e OSUSP

Seguindo a sequência de parcerias com a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, apresenta no Teatro Cultura Artística a 9ª Sinfonia de Beethoven com Rosana Lamosa, Adriana Clis, Fernando Portari e Paulo Szot como solistas e regência de Carlos Moreno.


 


2008

Collegium Musicum de São Paulo

Com a Orquestra Engenho Barroco apresenta o concerto dedicado aos 200 anos da chegada da corte portuguesa ao Brasil, com obras de José Maurício Nunes Garcia.

Ao lado da Orquestra Sinfônica Municipal de Santos apresenta a suíte sinfônica da ópera Porgy and Bess, de George Gershwin, tendo Edna D'Oliveira e Sebastião Teixeira como solistas.


2009

Capa da partitura da Messe Solennelle

No 3º Encontro de Coros Camargo Guarnieri, promovido pelo Theatro Municipal de São Paulo, apresenta um programa dedicado a madrigais renascentistas, incluindo La Guerre e Le Chant Des Oyseaux, de Clément Janequin.

No XII Festival de Música Sacra, o CMSP apresenta a Messe Solennelle, de Loius Vierne, e a obra Laudes Organi, de Zoltán Kodály, acompanhado pela organista Dorotéa Kerr.


2010

John Neschling em O Barbeiro de Sevilha

Ao lado da Companhia Brasileira de Ópera, sob direção musical de John Neschling, o CMSP participa da turnê nacional da ópera O Barbeiro de Sevilha, de Rossini. A direção cênica é do italiano Pier Francesco Maestrini que teve a ideia de fazer os cantores contracenarem com personagens de desenho animado criados pelo cartunista Joshua Held.


 


2011

Bruno Facio

Ao assumir como diretor artístico do Theatro Municipal de São Paulo e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal, Abel Rocha encerra seu legado à frente do CMSP.

Bruno Facio, integrante do grupo desde 2000, assume a direção do coro.
Seu primeiro programa, dedicado ao compositor Claudio Monteverdi, inclui madrigais a cinco vozes e a Messa a 4 voci da cappella da coleção Selva morale e spirituale.


No dia 7 de setembro apresenta o Credo in Unum Deum, composição de D. Pedro I conhecida como Credo do Imperador, com a Filarmônica Vera Cruz e regência de Júlio Medaglia.


2013

O CMSP realiza a série de oito concertos intitulada Collegium na Basílica, em parceria com a Basílica Nossa Senhora do Carmo.


2014

NIbaldo Araneda

Bruno Facio deixa o grupo para assumir o Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo.

Em agosto, Nibaldo Araneda assume o CMSP com a missão de reestruturar o grupo. Em dezembro, faz três concertos do programa Cantate Domino com obras de Claudio Monteverdi, Josef Rheinberger, Edward Elgar, Sergei Rachmaninoff e Maurice Duruflé.



 

 


2015

O Amor dos Três Reis

O CMSP faz parceria com o Theatro São Pedro para participar das récitas da ópera O Amor dos Três Reis de Italo Montemezzi e das apresentações do Concerto Internacional dedicado a Giuseppe Verdi.

O CMSP inicia a duradoura parceria com a Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos (OJMG) e o maestro Emiliano Patarra, realizando três concertos do Requiem, de Mozart.

Ao lado do Coralusp e da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, o CMSP participa do concerto da ópera Carmen, de Georges Bizet, na Sala São Paulo.


2016

Collegium Musicum de São Paulo

Realiza três concertos do Magnificat, de Antonio Vivaldi ao lado da OJMG. Com a Orquestra Sinfônica de Santo André faz dois concertos da Missa Dilígite, de Camargo Guarnieri e do Magnificat-Alleluia, de Heitor Villa-Lobos.

Nasce a Oficina Coral, aberta a todos os interessados, voltada para o trabalho de musicalização e técnica vocal dos cantores. Vinculado a este grupo é criado o Curso Livre de Regência Coral.


 

 


2017

Collegium Musicum de São Paulo

O CMSP cria os cursos de férias em janeiro e fevereiro. O primeiro é intitulado O Ouvido Pensante, ciclo de oito palestras que explicam as diversas estruturas da Música.

Realiza seis concertos com o programa Jubilate Deo dedicado à música sacra renascentista. Com o organista Delphim Rezende Porto apresenta o Requiem de Gabriel Fauré, e com a OJMG apresenta a Missa da Coroação de Mozart.

 


2018

Collegium Musicum de São Paulo

Introdução ao Solfejo é o curso de férias. O CMSP realiza cinco concertos com o programa a cappella Canticum Novum dedicado aos salmos. Com o grupo Jupará do Coralusp apresenta a Missa do Orfanato, de Mozart. Com a Orquestra de Câmara Miller apresenta na Pinacoteca do Estado a Missa em Sol Maior, de Schubert. Com a OJMG apresenta o Credo, de Vivaldi, e com a Orquestra de Câmara L’Estro Armonico faz três concertos do Glória, de Vivaldi.

A Oficina Coral, que funcionou de 2016 a 2017, é convertida em um novo grupo: o Collegium Musicum – Segundas. Seus primeiros programas são Canções Renascentistas – Madrigais do século XVI e, com a Orquestra de Câmara Miller, a Missa Breve - Aux Chapelles, de Charles
Gounod. 


2019

O CMSP apresenta em forma de concerto a ópera Dido and Aeneas, de Henry Purcell, com integrantes do coro como solistas.

 

No programa In Universa Terra - Panorama da Música Sacra Ocidental, apresenta 14 obras sacras de diferentes países, entre elas uma composição inédita sobre o Salmo 8 que dá título ao projeto. O programa também inclui a Misa Criolla, de Ariel Ramirez, executada com solistas e instrumentistas do grupo.

 

Com a OJMG apresenta as Vesperae Solennes de Confessore, de Mozart, e com a Orquestra de Câmara L’Estro Armonico faz dois concertos do Oratório de Natal, de Saint-Saëns.

 


2020

Collegium Musicum de São Paulo

Este é o ano de início da pandemia de Covid-19. Toda a programação do CMSP é cancelada.

Adaptando-se à nova realidade, Nibaldo Araneda assume o papel de 'editor de áudios', e Ana Ganzert o de 'editora de vídeos' para criar projetos virtuais: a obra A Prayer for Peace, de Michael John Trotta, e a polifonia Dona Nobis Pacem, de Beethoven, obra escolhida para celebrar os 250 anos de nascimento do compositor.

 

Com encontros virtuais semanais, Nibaldo Araneda ministra o curso de História da Música.